159: Utilizando Autoridade

Objetivo deste documento

O objetivo deste documento é educar Oficiais da SOM sobre o sentido da autoridade, a base sobre a qual é concedida aos Oficiais, e para que fins eles devem usar essa autoridade.

O que é Autoridade

A autoridade se refere a uma afirmação de legitimidade na representação de uma idéia ou posição de poder.  Essa legitimidade é concedida por um grupo ou corpo diretivo apoiando o direito daquele indivíduo de comunicar uma idéia ou um ideal, ou desempenhar um papel específico em seu nome.  Isto pode ser visto na forma como a Universidade apóia a afirmação de alguém ser Graduado, ou uma Igreja apoia os seus sacerdotes e, particularmente, em como um país apoia os seus governadores.

Oficiais da Sociedade do Olho da Mente tem concedida sua autoridade pelos associados do nosso clube para fins de cumprimento de obrigações específicas e aplicação de certas regras, conforme definido em nosso estatuto e Manual de Associação.

Oficiais e Autoridade

Autoridade é concedida aos oficiais para cumprir determinadas funções dentro do nosso clube.  Dividimos essa autoridade entre três grupos: a hierarquia de Coordenação, a hierarquia de Narração, e o Conselho de Administração.  Cada cargo tem atribuído um conjunto de funções ou deveres para lidar em nome do clube, e a Autoridade para desempenhar essas obrigações.

Quando discutimos as obrigações da nossa Autoridade vamos abranger várias facetas: cumprir os deveres que lhe foram atribuídas, lidar com os associados e todos os outros de uma forma profissional, assumir a responsabilidade por problemas que surgirem, fazer cumprir as regras do clube, e acima de tudo fazer o nosso melhor para que todos sejam tratados de forma justa e se divertam.  Existem vários recursos que nos dão uma idéia de como cuidar dessas obrigações, incluindo o Manual do Associado e muitos dos outros documentos de educação.

A principal fonte de informações sobre os aspectos e os deveres da posição de um oficial é o Capítulo 6 do Manual do Associado da Sociedade do Olho da Mente, que define certos papéis para cada um dos cargos de oficiais, incluindo o Conselho de Administração.  Claro que, com o tamanho e a diversidade do clube nem todo cargo específico esta na lista, mas as generalizações são dadas para proporcionar espaço para os tipos de deveres que cada cargo irá cobrir.  Em todos os casos, os oficiais recebem a autoridade para fazer determinações quanto à melhor maneira de abordar essas obrigações no âmbito da política definida e para solicitar ajuda de oficiais e outros associados do clube, conforme necessário para ajudar a garantir que essas funções de trabalho são cumpridas.

É importante saber que, em muitos casos, os deveres da função vão se expandir para além dos listados no manual.   Por exemplo, um Coordenador pode assumir uma tarefa  a pedido do clube de manter e cuidar dos adereços e materiais que usam em um local utilizado regularmente.  Embora não seja tecnicamente dentro da descrição do trabalho oficial do Coordenador, este pode ser um dever que tem sido dado como parte do cargo pelos associados do clube, e ao Coordenador foi concedida a Autoridade para gerenciar a manutenção e bem-estar desses suprimentos.  Cabe ao oficial cumprir esses papéis dadas a eles, seja por meio de seu próprio tempo ou delegando a um assistente.

Ao considerar a autoridade dada aos oficiais para desempem suas funções, é importante saber a que eles também é dada a responsabilidade de lidar com ela de uma forma que o clube considere razoável. Nas lições de ética anteriores discutimos Profissionalismo, Conflitos de Interesse e Reconhecer e Corrigir Problemas.  Estas lições devem ter fornecido uma idéia de como um oficial deve agir quando em uma posição de autoridade, e algumas informações sobre as restrições e responsabilidades da sua autoridade.  Ao lidar com os associados do clube é importante manter essas lições em mente já que elas proporcionam orientação sobre quando e onde é apropriado usar sua autoridade.  Isto torna-se especialmente importante ao lidar com questões como Ações Disciplinares e Apelos.

O capítulo 8 do Manual do Associado cobre especificamente a natureza das Ações Disciplinares e Investigações.  Torna-se particularmente importante que observemos os ideais de profissionalismo e imparcialidade ao lidar com estes aspectos dos nossos cargos.  Oficiais devem ter o cuidado de observar certos limites, não apenas nestes casos, mas em todos os aspectos das suas funções.

Utilizando Autoridade e Definindo uma Política Pessoal

Como oficiais da Sociedade, do Olho da Mente nos é dada a autoridade para liderar e tomar decisões para o clube que vão afetar os nossos amigos e colegas jogadores.  Em muitos casos, vai ser difícil de ser justo quando se trata de fazer julgamentos que podem gerar sentimentos negativos em nossos pares.  A solução para esse problema é colocar em pratica limites, ou políticas, em nós mesmos e os associados em relação à autoridade que exercemos.  Se fizermos isso, então vamos achar que é mais fácil de tratar a todos com justiça e igualdade, e nossos pares irão nos respeitar mais por isso.  Todo documento de educação na série 100 vai ajudar a dar-lhe uma idéia do que estas políticas são.

Sem essas políticas, é fácil para os associados cair em um dos dois extremos: Utilizar autoridade de sua posição para se vangloriar e abusar da sua posição, ou tornar-se uma marionete que tenta fazer todos felizes e não tem nenhum controle sobre o cargo.  Oficiais devem ter cuidado para que eles sigam as regras e políticas estabelecidas pelo clube para evitar fazer qualquer uma destas coisas.

Ao tomar decisões ou agir dentro da esfera de sua competência, os oficiais vão querer considerar as políticas e normas que foram estabelecidas no local por outros oficiais e do Manual do Associado.  Também é bom definir algumas políticas pessoais que ajudarão a garantir que todos sejam tratados de forma justa.   Cada oficial terá que determinar por si mesmos quais políticas de pessoais irá manter, mas aqui estão algumas que podem considerar e usar como exemplo para criar novas:

  1. Manter reuniões e tempo de jogo focados.  Conversas pessoais podem esperar até mais tarde ou em eventos sociais.  Seja todo negócios quando é hora de fazer negócios.
  2. Receba toda reclamação da mesma forma.  Definir uma política de pessoal tal como “reclamações devem ser entregues na forma escrita.’
  3. Dê a todos a oportunidade de serem ouvidos antes de tomar uma decisão, seja no jogo ou em uma reunião.
  4. Dê tempo e consideração iguais a todos os associados.  Definir limites de tempo em suas interações se necessário para certificar-se de uma pessoa não está ocupando todo o seu tempo.
  5. Aprovar boas requisições, e negar aquelas ruins, não importa de quem seja ou o quanto você gosta dele ou do personagem.
  6. Quando você definir uma nova política, cumpra-a.

Uma vez que um oficial determinou suas próprias políticas, ele deve compartilha-las com os associados que supervisiona. É importante explicar por que a política foi criada.  Dizer algo como “Eu não vou discutir assuntos não relacionados ao jogo durante o nosso tempo de jogo porque eu tenho gasto muito tempo com isto.”  Se os membros estão cientes das políticas, então eles vão ser mais propensos a observá-las e respeitá-las.

Para mais detalhes sobre este assunto, leia o Documento de Educação 273: Como Dizer Não (em breve).